Pesca de margem no Inverno!

Pesca de margem no Inverno!

O vento não é nosso amigo!

Saímos de vários meses do ano onde o vento nos ajuda a decifrar a localização do peixe mas nesta altura, na minha opinião, ele não é nosso amigo.

Se pensarem bem, as zonas da barragem ou do lago onde pescam que são batidas ao vento, são sempre mais frias. Nunca nos devemos esquecer de que o achigã, perca-sol entre outros peixes, têm uma temperatura mínima a seguir e enquanto no verão as altas temperaturas os afastam da superfície, nesta fase eu acredito que eles irão procurar sempre zonas onde a temperatura esteja o mais elevada possível. No inverno, a água mais calma é a água mais quente. E quanto mais quente a água, maiores são as probabilidades de conseguirmos capturar alguns achigãs.

Embora esta regra faça reduzir bastante a área pescável, acredito que seja bem mais rentável perceber bem as zonas mais salvaguardadas do vento. Se não conseguirem fugir do vento... por mim agarro num spinnerbait e tento sacar um bigbass que parece que é um método bastante produtivo também.

Aproveite os dias de sol!

Quase nunca podemos escolher os dias em que podemos ir pescar mas se formos ver a previsão de tempo e repararmos que há uma "tendência" quente de vários dias, convém arranjar umas horas para ir bater alguma zona mais resguardada da barragem. Sinceramente, pode ser a altura de tirar o maior achigã do ano.

Nesta altura as fêmeas já estão a ficar ovadas. Se aliarmos o facto de ser uma altura do ano em que tentam conservar energias e ao mesmo tempo alimentarem-se em força, é certo que haverá peixes muito grandes e gordos disponíveis para serem capturados já em Dezembro.

Nos dias de sol as fêmeas sobem na coluna de água para absorverem o calor da luz solar. Acredito que o fazem como nós que aproveitamos um belo dia de sol para ir passear. Não se esqueçam que mais para o meio da tarde é quando a água absorveu o calor necessário para subir 1 ou 2 graus de temperatura... portanto não desistir principalmente ao final do dia.

Se a água estiver turva ainda melhor porque primeiro empurra os peixes para as coberturas ou margem e em segundo porque a água turva aquece muito mais rápido com os raios solares do que as zonas com água mais limpa.

Portanto, com base no que falamos até agora, eu recomendo tentar concentrar os nossos esforços de pesca em dias calmos e ensolarados, se possível.

Desacelerar!

Para mim é complicado pescar lento, seja de margem ou de barco... gosto de bater muita água e sou bastante agressivo (power fishing) na abordagem ao achigã. Então de margem ainda pior porque posso simplesmente ir andando na busca de algo novo. No entanto, nesta altura do ano, mais do que nunca interessa desacelerar. E quando pensamos que estamos a pescar lento? Devemos pescar ainda mais lento.

Como acaba por ser óbvio o achigã alimenta-se mas provavelmente não se quererá mexer muito em busca do que vai comer. Nem quererá comer com grande agressividada, preferindo alimentação como o lagostim que é mais lento e dá menos trabalho a capturar. Portanto, evito pescar com coisas de acção rápida.

Prefiro pescar à texas nesta época do ano, assim consigo concentrar-me numa área e pescá-lo durante mais tempo. Normalmente uso é mais peso para sentir mais o fundo.

Se estiver com o texas preso em alguma coisa no fundo por estar a usar mais peso é bom, posso sacudir levemente aguentando o vinil mais tempo nessa cobertura. Estejam muito atentos pois por vezes não sentimos picar, apenas um ligeiro puxão na ponteira da cana. Ferrem rápido e tirem-no rápido da zona de árvores ou pedras para não perderem o peixe.

Pesque como um ioiô!

Tentem pescar dentro da cobertura e vão levantando e baixando o vinil. Não sei porquê mas sempre tive bons resultados com essa abordagem. Eu pesco muito no Douro e tenho muitas árvores para o fazer, daí a minha sugestão.

Imaginem que se o tronco recolher o calor do sol, o achigã irá estar bem encostadinho a ele e quanto mais perto colocarmos o vinil melhor. E quanto mais tempo o mantivermos lá durante o lançamento melhor ainda.

É simples, quando estiverem a puxar o texas e virem-no a chegar ao topo do galho, em vez de o puxarem, deixem-no cair novamente no mesmo sítio. E façam-no várias vez no mesmo lançamento... nunca se sabe. Os achigãs estão lentos não se esqueçam...

A pesca é muito ingrata no Inverno, mas com estas opções sempre fui um pouco feliz no meio das muitas grades. Escolham bem os dias e sejam proeficientes na abordagem às zonas de maior probabilidade de êxito.

Boas pescas.